Positivo do seu jeito

Tecnologia

NFT: o que é e como funciona essa tecnologia

26 de Março de 2021

por: MKT Positivo

Depois da febre do Bitcoin, outra novidade da internet tem conquistado posição de destaque na mídia internacional. Estamos falando do NFT, uma tecnologia de certificação digital ligada a transações multimilionárias realizadas online, como a venda do primeiro Tweet da história. Hoje explicaremos mais sobre o que são os NFTs, como eles funcionam e qual a relação deles com criptomoedas e o mercado digital.

O que é o NFT?

Você já imaginou uma imagem digital sendo vendida por cerca de 70 milhões de dólares? Esse foi um dos destaques do mês de abril, quando o artista Beeple liquidou sua obra, “EVERYDAYS: THE FIRST 5000 DAYS”. Trata-se de uma colagem enorme, com 21.069 x 21.069 pixels de resolução, composta por 13 anos de gravuras produzidas pelo autor.

Mas o que difere a obra de Beeple de qualquer outra cópia digital disponibilizada na internet e, principalmente, por que ela tem um valor tão alto? A resposta está no fato de ela ser um NFT.

NFTs são itens digitais (como arquivos de imagem, vídeos, áudios, entre outros) que passaram por um processo de certificação via blockchain, a mesma tecnologia utilizada para reconhecer a autenticidade das transações feitas com as principais criptomoedas da atualidade.

Bens fungíveis x Não fungíveis?

A sigla NFT significa Non Fungible Tokens, ou Tokens não fungíveis. Bens fungíveis são aqueles que podem ser consumidos ou trocados por outros de igual valor. O dinheiro é um ótimo exemplo de bem fungível. Você pode muito bem trocar uma nota de 20 reais por duas de 10 reais. O total será o mesmo, sem alteração.

Já os bens não fungíveis são aqueles que não podem ser trocados nem substituídos, já que possuem características que os tornam únicos. Imagine por exemplo uma obra de arte, como A Noite Estrelada, de Vincent Van Gogh. Embora seja possível fazer uma cópia fotográfica e imprimi-la, ela jamais terá o mesmo valor da peça original, seja por sua história, traçado ou demais características.

Agora que tratamos do significado do NFT, vamos falar um pouco sobre como isso funciona e quais as tecnologias que tornam isso uma realidade?

Bitcoins, criptomoedas e Blockchain, por quê?

Você deve ter acompanhado o surgimento recente das criptomoedas. Esse dinheiro “virtual” existe atualmente em diversas formas e nomes. Um dos mais famosos (que começou toda a onda) é o Bitcoin. Ele se baseia no princípio de que cada moeda é única, havendo um número limitado delas a ser distribuído mundialmente. É isso que confere a ele um valor, o qual é determinado pelo mercado.

Ao obter um Bitcoin, você não pode simplesmente copiá-lo e reutilizá-lo em várias transações. Existe um sistema encadeado pelo qual todas as transações são registradas em um livro contábil público (ledger). Cada moeda e transação recebe uma “impressão digital” única, que carrega um hash (código) de todas as movimentações anteriores.

Esse sistema é chamado de Blockchain e garante a segurança e autenticidade de todo o mercado em redor das criptomoedas.

NFTs: A solução para artistas da era digital?

Entra em cena a tecnologia NFT. Baseada no mesmo princípio de blockchain, ele permite que alguém comprove a posse de um bem digital, seja ele uma foto JPEG, um GIF animado, vídeo, arquivo de vídeo ou qualquer outro formato. Uma NFT carrega consigo informações importantes, como por exemplo:

  • – Quem é o criador do item
  • – Quem foi o comprador
  • – Quando a transação foi realizada

A tecnologia NFT é especialmente importante para os artistas da era digital, que até então não tinham como revender suas obras de forma exclusiva, como é feito no mundo real. Após a certificação, os criadores conferem a suas peças um status exclusivo, que jamais estará presente em uma mera cópia.

Uma das maiores preocupações atuais com relação ao uso do NFT é sobre a autoria das peças. Pela facilidade de troca de informações digitais, qualquer pessoa pode tentar se passar como a criadora de uma obra e gerar um token não confiável. Especialistas destacam a importância de auditorias para comprovar se a venda é legítima.

Os 5 NFT mais caros da história

A obra de Beeple, “EVERYDAYS: THE FIRST 5000 DAYS”, é sem dúvidas o mais caro NFT vendido até o momento. Ela custou nada menos do que 69,3 milhões de dólares para o comprador. Contudo, outros NFT já movimentaram uma quantidade impressionante de dólares.

Exemplos incluem a venda do primeiro Tweet da história (feito pelo criador do Twitter, Jack Dorsey) e de um dos GIFs animados mais queridos da internet, o Nyan Cat. Confira o ranking das 5 maiores transações abaixo:

  1. Primeiro Tweet da história – 2,9 milhões de dólares
  • Autor: Jack Dorsey
  1. Crossroads – 6,6 milhões de dólares

  • Autor: Beeple
  1. CryptoPunk 7804 – 7,57 milhões de dólares

  • Autoria: Larva Labs
  1. CryptoPunk 3100 – 7,58 milhões de dólares

  • Autoria: Larva Labs
  1. Everydays: the First 5000 Days – 69,3 Milhões de dólares

  • Autor: Beeple

Uma curiosidade interessante é que o primeiro Tweet foi vendido para Sina Estavi, CEO da Oracle. Contudo, ele continua disponível na rede social.

Outras grandes empresas têm comprado a ideia dos NFT. Um exemplo é a NBA, que atualmente comercializa os Top Shots, cards digitais animados com os lances mais importantes da história do basquete. Até hoje a NBA já faturou mais de 330 milhões de dólares com a venda desses produtos.

Ninguém sabe se a tecnologia NFT vai ser uma febre passageira ou o futuro da internet. Mas ela já conseguiu provar que há muita utilidade para as blockchains, mesmo quando separadas das criptomoedas.

Fonte(s): The Wall Street Journal, Johnny Harris, 101 Blockchains