Nos últimos séculos, as máquinas revolucionaram a produção. Mais recentemente, os computadores estenderam sua influência à área burocrática das organizações. Porém, hoje nós vemos uma nova transformação: os sistemas estão realizando não só atividades repetitivas e operacionais, mas se tornando o cérebro das companhias. Uma tecnologia que promete acentuar essa tendência é a computação cognitiva, que traz muitas possibilidades de aplicação nas empresas.

Quer saber como essa tecnologia pode ser aplicada no mundo dos negócios? Então, não perca este post. Vamos explicar brevemente o conceito e depois descreveremos de que forma muitas organizações já estão se beneficiando. Confira!

O que é computação cognitiva?

Trata-se de uma aplicação da Inteligência Artificial (AI) em que as máquinas aprendem continuamente. Elas coletam e processam um grande volume de dados estruturados e não estruturados, cuja análise leva à identificação de padrões. Assim, esses sistemas se tornam capazes de reconhecer e responder adequadamente às demandas do usuário sem precisarem receber comandos específicos para isso.

O objetivo da computação cognitiva é reproduzir o funcionamento do cérebro humano e produzir respostas semelhantes às que esse órgão proporciona no dia a dia. Porém, devido à capacidade de analisar os dados rapidamente e identificar padrões, os computadores conseguem fazer isso com maior velocidade e de forma mais precisa.

Como a computação cognitiva pode ser aplicada nas empresas?

Selecionamos algumas aplicações da computação cognitiva nas empresas para que você compreenda o potencial dessa ferramenta.

Recrutamento e seleção

A computação cognitiva tem um enorme potencial para revolucionar o recrutamento e seleção. Em primeiro lugar, ela consegue analisar o desempenho dos atuais funcionários e identificar quais são os perfis que obtêm maior sucesso na função. Dessa forma, diante do surgimento de uma vaga, o sistema fornece aos recrutadores critérios válidos para selecionar candidatos semelhantes.

Durante a seleção, o sistema também ajuda a identificar quais são os candidatos que apresentam essa correspondência. Ele analisa a interação entre as diversas características avaliadas (formação, competência técnica, experiência, traços comportamentais) para sinalizar quem é o profissional mais adequado para o cargo. Trata-se de uma ajuda valiosa para a tomada de decisão e uma alternativa para tornar a contratação certeira, contribuir para o aumento da produtividade e a redução do turnover.

Aumento de vendas

Uma das aplicações da computação cognitiva é a venda. Desde que sejam treinadas para isso, as máquinas conseguem abordar seus clientes ou prospects em vários canais de comunicação e redes sociais. Elas são capazes de usar a linguagem comum para fazer perguntas, tirar dúvidas, recomendar produtos e ofertas. Portanto, os sistemas podem se transformar em grandes vendedores.

Porém, afora essa venda direta, a computação cognitiva fornece análises completas para campanhas de marketing. Ela mostra de que forma as ações foram recebidas pelo usuário, permite a comparação entre iniciativas e calcula qual delas foi mais efetiva para alcançar seus objetivos. Além de propor correções, o sistema prevê o possível resultado depois das alterações.

Um bom exemplo é o das atuais plataformas de anúncios nas redes sociais. O responsável pelo marketing elabora dois ou três anúncios diferentes e estabelece um objetivo. A partir das primeiras interações, o sistema identifica qual versão é a mais eficaz para obter conversões e passa a exibi-la com maior frequência, otimizando o investimento.

O sistema ainda é capaz de identificar se uma versão é mais efetiva com um público X, caracterizado por um determinado perfil, enquanto outro anúncio atinge melhor o público Y. A partir dessa conclusão, ele segmenta o público e oferece a peça que obtém a resposta adequada em cada grupo.

Melhoria do clima organizacional

Um bom clima organizacional é essencial para potencializar a produtividade. No entanto, quando ele não é favorável, nem sempre as empresas conseguem distinguir os fatores que geram os problemas e a insatisfação. É possível, então, usar a computação cognitiva para facilitar esse diagnóstico, mapear padrões de comportamento e identificar quais são as ações da companhia que geram impacto positivo ou negativo.

Autonomia aos colaboradores

Em uma empresa, muitas vezes o colaborador não tem autonomia para tomar decisões. Ao atender clientes ou realizar vendas, ele precisa recorrer a gerentes ou outros gestores para autorizar determinados procedimentos. O fluxo dos processos fica prejudicado, pois necessita de várias interações para chegar a uma solução.

Nesse sentido, a computação cognitiva contribui para a autonomia dos colaboradores. Ela funciona como um assistente pessoal que descreve probabilidades, prevendo os resultados para cada opção que funcionário tem ao executar determinada tarefa. Assim, ele pode tomar uma decisão imediata baseada nesses dados, sem precisar recorrer aos seus superiores.

Atendimento ao cliente

Muitas empresas já utilizam a computação cognitiva no atendimento ao cliente. Esses sistemas mapeiam o comportamento do consumidor, reúnem dados referentes a todas as suas interações anteriores e conseguem identificar ou prever suas necessidades. Assim, ao “conversar” com esse tipo de máquina, a pessoa pode ter um encaminhamento rápido ou mesmo a solução mais adequada sem sequer conversar com um atendente humano.

Isso não significa, necessariamente, que a computação cognitiva pretende eliminar totalmente o elemento humano da interação. Porém, ela apresentará alternativas que poderão levar a uma solução mais rápida dos problemas, melhorando a experiência do cliente. Mesmo nos casos em que o consumidor exige a atuação de um atendente, o sistema analisa o tom de voz utilizado no contato, detecta sinais de irritabilidade ou insatisfação e alerta o colaborador antes do início da conversa.

Gestão de projetos

A computação cognitiva ajuda os gestores de projetos a identificar variáveis que podem interferir nos resultados e propor soluções para cada uma dessas situações. Com uma análise completa, a empresa consegue se antecipar a determinadas tendências e explorar diversos caminhos tendo uma previsão mais precisa das consequências das decisões possíveis.

O sistema também permite o acompanhamento do projeto em tempo real, bem como a comparação entre o que está sendo feito e o que foi previsto no cronograma. Dessa forma, é possível analisar o fluxo de processos, identificar ou antever gargalos e propor correções para minimizá-los.

Por enquanto, os benefícios da computação cognitiva estão presentes em um número relativamente pequeno de organizações. No entanto, normalmente o ciclo das tecnologias caminha para que elas atinjam um grau de maturidade com o passar do tempo, o que significa a possibilidade de aplicá-las em qualquer negócio e de obtenção a um custo reduzido. Por isso, nossa sugestão é que você fique atento a essa tendência e comece a pensar em como usá-la para estabelecer um diferencial competitivo importante diante de seus concorrentes.

Gostou do post? Quer ter acesso a outros conteúdos como este? Siga-nos no Facebook, YouTube e Twitter para acompanhar nossas publicações!

Escreva um comentário

CADASTRE-SE PARA FICAR POR
DENTRO DAS NOVIDADES DA POSITIVO.

Share This