Incluir tecnologia na operação e gestão de uma empresa é uma necessidade cada vez mais urgente para sobreviver no mercado — isso todo mundo já sabe. Mas será que gestores e profissionais de TI estão fazendo isso da melhor maneira possível? Neste artigo, queremos conversar com você sobre uma nova forma de usar a sua experiência para influenciar o sucesso da empresa: aliando tecnologia e design.

Saiba como os dois lados são importantes e, principalmente, como alinhar esses dois conceitos pode significar o sucesso de um negócio. Vamos lá?

Tecnologia: um futuro inevitável no mundo corporativo

Se você trabalha com TI em uma empresa, com certeza não precisa de alguém para dizer o quanto a tecnologia influencia o seu trabalho. Mas, além disso, queremos reforçar a sua importância para estratégias de negócio no futuro — tratar a tecnologia menos como uma ferramenta e mais como uma cultura.

A transformação digital se tornou um novo combustível para o mercado, um que faz toda a máquina produtiva acelerar mais com menos impulso. Ela possibilitou que as startups (empresas com poucos recursos, mas grandes ambições) alçassem voos que antes eram impossíveis para um negócio feito por três, quatro pessoas.

Essa é uma mudança tão impactante que as grandes empresas também precisam se voltar para a busca de soluções estratégicas por meio de avanços tecnológicos. O gestor de TI ganhou papel de destaque entre os cargos C-level e, hoje, espera-se dele a fagulha criativa para transformar hardware e software em garantias de sustentabilidade e uma produção mais eficiente.

Design: muito mais do que uma ideia criativa

Afinal, de onde pode vir essa fagulha? Quando falamos em design, a sua imagem está muito associada à profissão do designer, principalmente o designer gráfico — que atua nas mídias digitais que estamos mais acostumados a consumir.

A verdade é que o design é um conceito muito mais amplo que parte de um princípio simples: aliar forma e função para criar soluções elegantes e práticas para um problema existente.

Por mais que a ideia de um designer passe ainda por uma pessoa cheia de ideias e pouco compromisso, isso não podia estar mais longe da verdade. O design é uma forma sistemática de ver o mundo, de fazer a ponte entre uma necessidade e uma forma prática de atendê-la.

Nesse caso, a forma serve à função, seja pela beleza, seja pela ergonomia, seja pela simplicidade de processos. Quando incluída na estratégia de um negócio, pode ser uma fonte poderosa de insights para novos caminhos de sucesso no futuro.

Design Thinking: aliando os dois conceitos para o sucesso

Portanto, esse caminho para tornar a empresa uma referência em um novo mercado, voltado para a transformação digital, volátil e baseado na dominância de nichos, está na junção desses dois conceitos.

É aqui que entra o Design Thinking, uma disciplina capaz de aplicar os métodos comuns aos designers para utilizar a tecnologia em novas estratégias de negócio — principalmente na resolução de problemas e na criação de produtos mais práticos para o público.

O termo não diz respeito a uma metodologia, mas a uma forma de abordar questões na rotina de trabalho que normalmente seriam ignoradas por serem muito “fora da caixa”. Seu processo funciona por meio de 4 passos principais:

  • imersão: quando o profissional procura se inteirar e entender as dores que um problema causa — seja na demanda do público, seja em processos internos;
  • análise e síntese: quando esse problema é interpretado e sintetizado em uma questão central que precisa ser atacada;
  • ideação: quando o profissional ou equipe responsável levanta todas as ferramentas tecnológicas disponíveis e propõe formas de interação entre elas que criem novas saídas disruptivas para o problema;
  • prototipação: quando a ideia parte para a etapa de teste, validação e iteração até atingir o resultado esperado.

Ao implementar esse fluxo de estudo, análise e execução de ideias criativas, a tecnologia se torna uma arma ainda mais importante dentro de qualquer empresa. É a busca de todo gestor de TI para tornar a sua área uma parte realmente fundamental em novas estratégias para o futuro.

Tecnologia e design: suas vantagens em um ambiente de trabalho

Mas quais são os resultados práticos dessa união por meio do Design Thinking? Aliar tecnologia e design agiliza processos de desenvolvimento, resolução de problemas e muitas outras questões em diversas áreas:

1. Novas soluções para problemas antigos

O que move a tecnologia no mundo corporativo é encontrar formas mais rápidas e eficientes para realizar tarefas e entregar mais qualidade ao cliente. O que move o design é sair do senso comum e descobrir caminhos mais otimizados que levem à solução de um problema.

Unindo os dois conceitos, a empresa ganha em novas ferramentas, como softwares, processos e serviços que podem dar a vantagem tecnológica necessária para vencer a concorrência. Essa abordagem de problemas pode, inclusive, resultar no surgimento de modelos de negócio totalmente disruptivos.

2. Aumento da segurança de dados

Não é fácil lidar com a segurança de dados, um ambiente ameaçado todos os dias por novas formas de ataques, invasões e vazamentos.

O que um departamento de TI precisa para estar um passo à frente dos criminosos é exatamente criar soluções inovadoras que eles ainda não conseguem prever. É pensar na tecnologia em uma nova forma, que execute uma função ainda inexistente no mercado.

3. Novas formas de trabalho

Apesar de não ser uma metodologia, o Design Thinking é a inspiração para diversos modelos produtivos que contribuem para a agilidade e a qualidade do trabalho dentro das empresas.

Scrum, Kanban, FDD e Lean Development são todos exemplos de metodologias ágeis de desenvolvimento que usam a estrutura de imersão, análise, ideação e prototipação para iterar constantemente em seus produtos e serviços e entregar soluções inovadoras para seus clientes.

4. Redução de custos

Processos mais ágeis, tecnologias com forma adequada à função e soluções criativas para problemas persistentes. Todos esses ganhos na hora de aliar tecnologia e design levam ao mesmo resultado: uma economia de tempo e dinheiro na operação e gestão de um negócio. É uma redução significativa para todos os departamentos que pode partir de uma simples mudança de cultura dentro da TI.

5. Uma nova cultura digital

Falando em cultura, esse deve ser um motivador para um negócio que espera se consolidar no futuro. O alinhamento entre design e tecnologia não será apenas uma questão para o gestor de TI — ele será o centro dessa mudança de pensamento em todos os setores da empresa.

Design Thinking tem muito a ver com uma busca por inovação. Quando todos os funcionários são influenciados por essa ideia e buscam inovar em seus trabalhos, não existe mais chance de vocês ficarem para trás.

Afinal, esse é o objetivo central na hora de aliar tecnologia e design. Se você começar hoje a implantar uma nova estrutura de trabalho baseada em Design Thinking e plantar essa semente de uma cultura de inovação dentro da sua empresa, vocês estarão preparados para lidar com qualquer desafio que se apresente.

Que tal então começar essa mudança estudando mais sobre o assunto? Acesse agora este artigo e saiba muito mais sobre o que é o Design Thinking e o que ele pode fazer para sua equipe e sua empresa!

Escreva um comentário

CADASTRE-SE PARA FICAR POR
DENTRO DAS NOVIDADES DA POSITIVO.

Share This