Desde o tempo da produção artesanal e invenção das máquinas a vapor até a acelerada revolução tecnológica do século XX, a fabricação de produtos passou por grandes transformações. No entanto, nenhuma delas se compara ao que a indústria 4.0 pretende trazer para o mercado.

E você, já conhece a indústria 4.0? Sabe quais são os preceitos desta nova revolução e como ela vai atingir o mercado, as atuais ocupações e funções do profissional de TI? Quer entender melhor o conceito?

Então não perca este post! Vamos tratar desse assunto e esclarecer as suas dúvidas sobre essa transformação que já está em andamento.

A mais nova revolução industrial

Não se trata da primeira vez que a sociedade passa por uma revolução industrial. Vivenciamos, no século XVIII, o surgimento das máquinas a vapor que começaram todo esse ciclo de modernização da produção.

A seguir, no século XIX, a utilização do aço, da energia elétrica e combustíveis derivados do petróleo garantiram um novo ritmo à produção, acelerando a disponibilização de produtos no mercado e ampliando as possibilidades de comércio.

Já na segunda metade do século XX foi a vez de utilizar sistemas computadorizados e robóticos na manufatura. Porém, a quarta revolução industrial que está sendo iniciada — também conhecida como indústria 4.0 — promete uma transformação sem precedentes.

O conceito de indústria 4.0

Em muitos aspectos, aparentemente já vivemos em um cenário bem parecido com aquele antecipado em filmes futuristas ou nas mais insanas previsões de Asimov.

Já existem, ao redor do planeta, fábricas completamente automatizadas em que sistemas de computador interagem com equipamentos físicos, revolucionando completamente os processos de manufatura — e elas praticam o conceito de indústria 4.0.

O termo foi utilizado pela primeira vez na feira de Hannover, no ano de 2011. Sua base é a conexão entre máquinas e sistemas, criando redes inteligentes que não só auxiliarão, mas conduzirão todo o processo produtivo.

Esse conceito tem estado cada vez mais presente e tem sido responsável pela aplicação de inovações tecnológicas aos processos de manufatura em uma escala jamais vista, tornando a produção autônoma, customizável e altamente eficiente.

A era da conectividade e o surgimento constante de tecnologias está revolucionando o sistema de produção — e não se trata apenas de agregar novas possibilidades de automação, mas de romper com o sistema atual e criar um novo paradigma.

A indústria 4.0 estabelece uma grande diferença em relação ao simples avanço tecnológico. Neste modelo de fábrica, que já existe em países desenvolvidos como Estados Unidos e Alemanha, subverteu-se a ordem de o homem dominar a máquina.

Nessas indústrias, as próprias máquinas responsáveis pela produção são responsáveis pelas decisões que acontecem no chão da fábrica. Para isso, combinam informações que recebem dos sistemas em tempo real, otimizando sua capacidade operacional.

Mas vamos entender melhor como isso é possível a partir das premissas da indústria 4.0. Confira!

Premissas da indústria 4.0

Para que a indústria 4.0 seja possível, são necessários outros conceitos e tecnologias que a viabilizem. Saiba quais são:

Virtualização das informações

Atualmente, várias empresas utilizam a virtualização para realizar simulações e analisar a viabilidade de projetos. Ela também está presente em sistemas supervisórios.

No entanto, a indústria 4.0 vai além dessas possibilidades: também prevê a instalação de sensores espalhados ao longo da planta da fábrica, os quais permitirão a obtenção de informações cruciais e o controle do ambiente.

Todas as informações serão registradas e interpretadas pelo sistema, o que permite o rastreamento e monitoramento remoto dos processos. Na prática, é como se a indústria tivesse uma cópia virtual que possibilita sua operação indireta.

Modularidade

A linha de produção será suficientemente flexível para admitir modificações imediatas nas tarefas realizadas, sem a necessidade de uma reconfiguração a cada alteração solicitada.

Para transformarmos isso em um exemplo prático, basta pensar que uma linha de montagem de automóveis poderá reproduzir diferentes modelos em sequência. Essa característica cria a possibilidade de customização total de produtos.

Orientação a serviços

Trata-se da utilização de arquiteturas de software voltadas a serviços, baseadas no conceito de Internet of Services.

Interoperabilidade

Os sistemas cyber-físicos serão capazes de interagir com humanos, criando uma fábrica inteligente completamente dirigida pela Internet das Coisas (IoT).

Descentralização do trabalho

A indústria 4.0 permite aprimorar os processos de produção, criando módulos de fábrica descentralizados e independentes.

Dessa forma, não será mais necessário manter agentes humanos para tomar uma série de decisões. O próprio sistema cyber-físico redirecionará os processos, baseado nos dados recebidos da produção em tempo real.

Outra vantagem é que as máquinas se tornam capazes de fornecer informações sobre seu ciclo de trabalho ao sistema. Com esses dados, os processos serão reorganizados e alterados pelo próprio software para garantir o aprimoramento da produção.

Capacidade operacional otimizada

A permanente interação entre máquinas e sistemas vai possibilitar o recebimento e análise de dados em alta velocidade. Essa enorme vantagem, que é a obtenção da informação em tempo real, permitirá uma tomada de decisão mais precisa e efetiva.

O papel das empresas frente à indústria 4.0

Embora essas mudanças nem sempre aconteçam com a velocidade esperada, especialmente no nosso país, percebe-se que a chegada da indústria 4.0 cria um novo patamar de performance e produtividade. Nesse contexto, a defasagem tecnológica é fatal.

A ruptura é tão grande que torna a concorrência entre as empresas que operam no sistema atual e as que adotam o conceito de indústria 4.0 completamente desproporcional.

Diante dessa realidade, não há outra alternativa: quem pretende sobreviver no mercado futuro precisa começar agora a reformular suas estratégias de negócio. O mesmo vale para os profissionais em geral, especialmente na área de TI.

Se nas revoluções anteriores a mão-de-obra humana já perdeu espaço para as máquinas em atividades manuais e repetitivas, isso tende a se acentuar. Agora elas também estão aprendendo a “pensar” — embora em níveis elementares —, dispensando grande parte da supervisão.

Porém, a mesma evolução tecnológica que elimina postos da base do funil trará excelentes oportunidades de colocação profissional e carreira para quem se encontra no topo.

Nesse contexto, a capacitação passa a ser uma prioridade, visto que a demanda por profissionais extremamente atualizados e especializados vai aumentar. A preparação para assumir esses postos precisa começar agora.

 

Entendeu o que é indústria 4.0 e seu impacto no mercado de trabalho? Quer começar a conhecer um conceito importante para esse modelo, o Machine to Machine? Então continue em nosso blog e confira o post!

Escreva um comentário

CADASTRE-SE PARA FICAR POR
DENTRO DAS NOVIDADES DA POSITIVO.

Share This