Uma estação de trabalho adequada é um item essencial para o desempenho de qualquer colaborador. Além de ser importante para o bem-estar do profissional, o ambiente ajuda na sua produtividade e dá condições para que ele execute suas atividades da melhor forma possível.

E parte da estação de trabalho de muitas pessoas hoje é o computador utilizado, que pode receber a denominação de “workstation”. Com uma máquina bem-configurada, a performance do time é potencializada e os resultados do seu trabalho são melhores.

Neste artigo, vamos explicar melhor qual é a diferença entre estação de trabalho e workstation, detalhar os principais desafios na hora de configurar um computador profissional e mostrar como tudo isso impacta a produtividade da equipe. Boa leitura!

Estação de trabalho e workstation: entenda a diferença

Apesar do termo “estação de trabalho” ser uma tradução literal da palavra em inglês “workstation”, no universo corporativo é comum que o primeiro seja utilizado para descrever o espaço de trabalho como um todo, incluindo a mesa, a cadeira e todos os demais acessórios, enquanto o segundo se refere apenas ao computador utilizado no ambiente profissional.

Além disso, também é comum que a denominação “workstation” se refira especialmente aos computadores mais poderosos, com capacidade de processamento superior para executar tarefas mais pesadas que envolvam muitos cálculos ou edição e processamento de vídeos.

Mas o que diferencia uma workstation de um desktop comum não são apenas suas especificações potentes.

Esse tipo de máquina é configurada com o objetivo de atender as demandas bem distintivas da atividade em que ela será utilizada. Portanto, muitas vezes conta com uma boa quantidade de slots de memória RAM, conexões de sobra e gabinetes espaços para muito armazenamento, placas de vídeo trabalhando em paralelo e uma fonte poderosa para dar conta de tudo isso.

Muitas fabricantes já oferecem computadores categorizados como workstations, mas quase sempre é preciso realizar uma customização antes de colocar a máquina para trabalhar na empresa. Portanto, além de um fornecedor de qualidade, é importante contar com o suporte de um especialista na hora de comprar um equipamento desse tipo.

Principais desafios na hora de montar uma workstation

O maior desafio para quem quer configurar uma workstation é dimensionar bem a configuração com base no tipo de tarefa que será realizada pela máquina. É importante escolher especificações que sejam capazes de atender às necessidades exigidas pela atividade. Mas, ao mesmo tempo, é preciso tomar cuidado para não desperdiçar com recursos supérfluos.

Portanto, o primeiro passo na configuração dessa máquina é entender como ela será empregada no ambiente de trabalho, quais serão suas atividades rotineiras e como ela será efetivamente utilizada.

Ainda que ambas sejam máquinas poderosas, uma ilha de edição é muito diferente de um computador utilizado em uma empresa de engenharia, por exemplo. Uma workstation é uma máquina personalizada e feita sob medida para atender necessidades específicas. Logo, o mais importante é entender quais serão essas atividades.

Com base nessas informações, é possível elencar os componentes que devem estar no computador. Se a workstation precisa armazenar um volume elevado de dados, o armazenamento é uma das prioridades na configuração. Já se sua função principal será renderizar vídeos e projetos em 3D, placas de vídeo trabalhando em paralelo é um dos requisitos que merece mais atenção.

Cada tipo de função demanda uma workstation diferente, mas existem alguns itens que praticamente todas terão em comum:

  • uma fonte poderosa, com capacidade para alimentação de todos os componentes da máquina;
  • um gabinete espaço, que acondicione as peças com folga e tenha estrutura para resfriar bem o hardware.

Estação de trabalho também é um fator de produtividade

Além da workstation, é importante preparar a estação de trabalho em si que receberá o equipamento. E, para isso, também é crucial compreender quais serão as tarefas executadas ali.

Por isso, vale a pena entender as necessidades do profissional que vai operar a workstation e buscar por itens que deem condições para que ele entregue o melhor do seu trabalho.

Em boa parte das estações de trabalho equipadas com computadores poderosos, é comum que existam pelos menos dois monitores, mas não é raro encontrar uma ilha de edição que utilize três ou quatro telas.

Além da quantidade, é importante também investir em painéis de qualidade: precisam ser considerados fatores como o contraste, taxa de atualização, tempo de resposta e o tamanho dos monitores.

Os periféricos do computador também são importante, como mouse, teclado e outros. Para um profissional que precisa digitar muito, como um programador, um teclado mecânico com alta sensibilidade e tempo de resposta pode ser um diferencial significativo, enquanto em muitas outras aplicações as prioridades serão outras.

Se a máquina for utilizada em aplicações gráficas que envolvam desenho, é quase obrigatório a presença de uma mesa digitalizadora, que permita ao colaborador desenhar com uma caneta digital.

Um aspecto fundamental que deve ser avaliado na estação de trabalho é a ergonomia. É importante contar com um conjunto de mesa e cadeira que favoreça a postura do profissional, além de suportes que permitam ajustes finos na altura das telas.

Em algumas empresas, é possível até mesmo investir em mesas que podem ser elevadas, de forma que o colaborador alterne entre o trabalho em pé e o sentado, o que não só é importante para a saúde como pode também impactar positivamente a produtividade.

Por fim, a estação de trabalho deve contar com outros itens de conforto essenciais, como espaço para outros materiais, gavetas e até mesmo algum item decorativo.

Economize tempo e dinheiro com auxílio de um especialista

Para montar a workstation ideal para uma empresa, é preciso unir o conhecimento das atividades realizadas no local com a capacidade de dimensionamento de uma boa máquina para a execução delas.

Geralmente, a primeira parte é facilmente dominada pela equipe que precisa do equipamento. Já a segunda exige um conhecimento técnico em TI que nem sempre está facilmente disponível.

Por isso, o mais inteligente é contratar um especialista que domine bem a parte do hardware e que consiga interpretar as demandas de uma empresa e transformá-las em uma ferramenta de trabalho decisiva.

E agora que você já sabe a melhor forma de configurar uma workstation e configurar uma estação de trabalho definitiva, aproveite para entender como a infraestrutura de TI afeta a produtividade dos funcionários!

Escreva um comentário

CADASTRE-SE PARA FICAR POR
DENTRO DAS NOVIDADES DA POSITIVO.

Share This