Positivo do seu jeito

Tecnologia

6 novas tecnologias presentes na Copa do Mundo da Rússia 2018

12 de junho de 2018

por: MKT Positivo

O maior espetáculo do futebol está prestes a começar e as tecnologias da Copa do Mundo 2018 já estão em campo para levar até os espectadores um show de imagens como nunca visto até então.

A FIFA investiu pesado para tornar o maior evento esportivo do planeta em um espetáculo high-tech. Tecnologias dentro e fora do campo vão ajudar a melhorar o desempenho dos atletas e a colocar o espectador mais próximo das principais jogadas.

Nesse artigo, listamos as seis tecnologias mais inovadoras que estarão presentes na Copa da Rússia:

®GIPHY

1. Tecnologia Goal-Line

Na Copa do Mundo de 2014, o mundo teve a oportunidade de, pela primeira vez, conferir a tecnologia Goal-Line em ação. No jogo entre França e Honduras, um gol do atacante Karim Benzema foi validado graças à tecnologia que permite apurar com precisão se a bola cruzou inteiramente a linha do gol ou não.

Para 2018, a tecnologia será novamente utilizada e agora de forma aperfeiçoada. Um total de 14 câmeras estarão disponíveis em cada uma das balizas para obter esse tipo de informação.

®WIKIMEDIA COMMONS

Elas são capazes de enviar um sinal para o árbitro em apenas um segundo informando se foi gol ou não. Além disso, a bola que será utilizada na edição deste ano conta ainda com um chip, que deve funcionar como um auxiliar.

2. VAR: Video Assistant Referee

Conhecido popularmente como “árbitro de vídeo”” a tecnologia VAR será utilizada em uma Copa do Mundo pela primeira vez na edição deste ano. Os testes com essa tecnologia vêm sendo realizados há dois anos em vários campeonatos, como o Italiano e o Português, e em ambos os resultados têm se mostrado positivos.

®FIFA

O recurso tecnológico de vídeo será utilizado em jogadas polêmicas, como pênaltis duvidosos ou gols em posição irregular. Além disso, incidentes que passem despercebidos pelos árbitros, como faltas fora do lance de bola, também poderão ser revistos e render cartões amarelos e vermelhos para os jogadores.

A decisão, no entanto, permanece sendo do árbitro. Ele pode acatar as orientações do árbitro de vídeo ou ter a sua própria interpretação.

A FIFA tem feito um esforço enorme para que o tempo de bola parada não interfira no ritmo do jogo.

3. Performance eletrônica e sistemas de rastreamento

Você já deve ter reparado que nos últimos meses os jogadores do futebol brasileiro têm utilizado uma espécie de top por baixo da camisa.

Essa peça tem uma explicação: ela carrega um sensor que coleta uma série de informações dos atletas e que, posteriormente, podem ser utilizadas tanto para fins estatísticos quanto para acompanhamento médico.

®FIFA

Os sistemas de performance eletrônica podem enviar em tempo real informações sobre a condição de saúde de um atleta. Esses dados são monitorados pelos médicos ou fisioterapias das seleções e podem ser utilizados para a tomada de decisão se um atleta precisa ser substituído ou não.

Outro dado coletado é a distância percorrida em campo e o mapa de calor das regiões nas quais o atleta esteve.

Essas informações podem ser utilizadas pela equipe de análise de desempenho para orientar melhor o rendimento dos jogadores dentro dos seus respectivos esquemas táticos.

4. Telstar 18: a bola da copa é high-tech

A bola que será utilizada na Copa do Mundo de 2018 é considerada a mais tecnológica já criada até hoje. Desenvolvido pela Adidas, o modelo conta com um chip NFC incluso – o que permite obter informações sobre ela a partir de um smartphone ou tablet.

Inicialmente, os dados coletados servirão apenas para testes, mas no futuro poderá ser possível determinar a velocidade ou a altura da bola durante o jogo.

®WIKIPÉDIA

Uma versão com microcâmeras chegou a ser construída, mas as imagens capturadas não foram de muita serventia: segundo Roland Rommler, diretor global de tecnologias de futebol da Adidas, as imagens eram “nauseantes e não se podia ver muita coisa”. O design da bola é inspirado no modelo Telstar Elust, criado pela Adidas para a Copa do Mundo de 1970.

A empresa alemã já trabalha na confecção da bola que será utilizada na Copa do Mundo de 2022, no Catar. O desafio por lá será o de suportar as altas temperaturas do país.

5. Astro Mesh Dri-Fit: camisas mais leves

Apenas três seleções utilizarão na Copa do Mundo de 2018 novos uniformes criados pela Nike: Arábia Saudita, Austrália e Coreia do Sul. Segundo a empresa, a camisa dessas seleções vai utilizar o tecido Astro Mesh Dri-Fit.

Ele conta com uma aplicação de emblema que é 64% mais leve e o tecido é 65% mais respirável.

®NIKE

Outros países patrocinados pela empresa seguirão utilizando versões modernas em seus uniformes, como é o caso do Brasil.

A Seleção Brasileira terá uniformes com a tecnologia Vaporknit, que combina respirabilidade com leveza e mobilidade.

6. Geração de sinal em 4K

A Copa do Mundo de 2014 foi a primeira a ter algumas partidas transmitidas em 4K. Para a Copa do Mundo de 2018, todos os jogos serão transmitidos em UHD.

Em cada estádio, uma unidade de TV com link dedicado de 1 Gbps vai ficar encarregada da captação e da transmissão. Os sinais serão enviados em tempo real para uma central de transmissão em Moscou e de lá seguirão para Frankfurt, na Alemanha.

®REVISTA HOME THEATER

Algumas emissoras terão direito ainda ao acesso a imagens de câmeras especiais localizadas em pontos estratégicos, além de câmeras táticas operadas por drones. Tudo isso para garantir que os espectadores tenham acesso a um verdadeiro show de imagens e informações táticas para ninguém botar defeito.

Fonte(s): FIFA.com e Revista Home Theater

CADASTRE-SE PARA FICAR POR
DENTRO DAS NOVIDADES DA POSITIVO.