Positivo do seu jeito

Tecnologia

Não vingou: 5 tecnologias que não deram certo

25 de Maio de 2019

por: MKT Positivo

Todos os anos os grandes fabricantes colocam novidades tecnológicas no mercado. Entretanto, por mais que por trás delas exista algo de revolucionário, de nada adianta todo o esforço se o público não gostar do resultado: acabamos diante das tecnologias que não deram certo.

Exemplos não faltam e elaborar uma lista como essa seria uma tarefa praticamente interminável. Entre produtos de nicho, que até vingaram por um certo tempo, e novidades que vieram e não conquistaram ninguém, separamos cinco tecnologias relativamente conhecidas que não caíram nas graças dos consumidores.

tecnologias que não deram certo
®GIPHY

1. TVs 3D

Com o sucesso do filme Avatar, no final de 2009, os consumidores queriam poder repetir essa experiência em casa. Nascia ali um nicho com grande potencial para ser explorado: o das TVs 3D. A indústria bem que tentou: foram dezenas de modelos colocados nas lojas, com diversas variações entre si de tecnologias 3D (com óculos especiais ou sem).

tv 3d

Porém, a novidade esbarrou em dois problemas: o alto custo de produção e o baixo volume de conteúdo disponível. Aos poucos as TVs 3D foram caindo em segundo plano e os consumidores pareciam mais interessados nos modelos 4K. Como resultado, menos de 10 anos depois, as TVs 3D praticamente não são mais fabricadas.

2. Windows Phone

Os smartphones com o sistema operacional Windows Phone, da Microsoft, foram uma tentativa da empresa de fazer frente a um mercado dominado por duas empresas. Embora muitos usuários gostassem da novidade, o volume de vendas foi baixo e especialmente o Android monopolizou os produtos nas faixas de preço mais acessíveis.

windows phone

Com a chegada do Windows 10, a empresa até tentou transformar os dois sistemas – o mobile e a versão para desktop – em uma coisa só, mas os desenvolvedores não apostaram na ideia. Com poucos aplicativos, o Windows Phone foi deixado de lado aos poucos até praticamente sumir do mercado.

3. Google Glass

Um óculos de realidade aumentada capaz de exibir diversos tipos de informação no display. A ideia do Google Glass parecia arrasadora e saída de um filme de ficção científica. Seu projeto foi apontado como uma das grandes inovações da indústria, capaz de se tornar uma revolução assim como os smartphones.

google glass

Porém, o tempo passou, ele demorou bastante a chegar ao mercado e, quando chegou, custava caro e não era tão legal assim. Os consumidores perceberam e logo torceram o nariz. Dois anos depois, o futurista Google Glass foi descontinuado e as equipes de desenvolvimento foram para outros projetos.

4. Blu-ray

Tudo parecia certo para que o Blu-ray se tornasse a evolução natural dos DVDs: imagens de melhor qualidade e maior capacidade de armazenamento eram os seus diferenciais. Porém, embora esse mercado tenha crescido, na prática os discos azuis nunca chegaram a superar os DVDs.

blu ray

O maior empecilho para eles foram os serviços de streaming. A popularização deles fez com que as mídias em geral usadas para os filmes se tornassem obsoletas. Morreram as locadoras de vídeo e caiu o interesse do público pela compra desse tipo de produto. O Blu-ray lutou bravamente, mas não resistiu – e sua participação no mercado é cada vez menor.

5. SLI e Crossfire

No início dessa década, a potência de um PC gamer era definida pela quantidade de placas de vídeo que eles eram capazes de suportar. As tecnologias SLI e Crossfire permitiam que as máquinas tivessem duas ou até quatro GPUs, tornando-as mais potentes.

sli

Porém, as fabricantes foram deixando essa ideia de lado e investiram em GPUs mais potentes e capazes de dar conta do recado sozinhas. Sem apoio dos desenvolvedores de jogos e das fabricantes, a ideia – que já não era das melhores, convenhamos – acabou sendo colocada de lado.