Google Drive: como evitar que arquivos na lixeira sejam apagados para sempre

Se você costuma apagar arquivos do Google Drive com frequência e os resgata depois de algum tempo na lixeira, fique atento: a partir do dia 13 de outubro o Google apagará em definitivo conteúdos após 30 dias da data de exclusão.

A mudança fará com que os usuários precisem rever os arquivos apagados ao menos uma última vez se quiserem ainda ter alguma chance de recuperá-los. Atualmente, o Google mantém os arquivos excluídos na lixeira por tempo indeterminado.

Fim do excesso de lixo eletrônico

A medida não deverá impactar significativamente o comportamento dos usuários, mas para o Google será uma forma de reduzir o espaço destinado ao chamado “lixo eletrônico”. Hoje, conteúdos excluídos pelos usuários por vontade própria ou mesmo por acaso são mantidos “a salvo” para recuperação.

A medida inclui todos os tipos de arquivos vinculados à uma conta do Google Drive, como documentos (Google Docs, Google Planilhas e Google Slides), fotos e vídeos. Portanto, se você quiser dar uma última conferida nos arquivos excluídos para ver se há alguma coisa para resgatar, programe-se para fazer isso nas próximas semanas.

Segundo a empresa, a mudança começa a valer a partir do dia 13 de outubro de 2020. A partir desta data conte mais 30 dias (portanto, até 13 de novembro de 2020) como prazo limite para revisar os arquivos excluídos. O que estiver na lixeira há mais de 30 dias será apagado em definitivo e não será possível recuperar nunca mais.

Outra boa notícia: a mudança será implantada de forma gradual ao longo de duas semanas. Portanto, é possível que a sua conta demore um pouco mais para receber a novidade, o que representa um prazo maior para revisar os arquivos excluídos. A empresa informou ainda que notificará os usuários com relação à vigência da alteração.

Medida já existe em outros aplicativos do Google

O sistema que será adotado no conteúdo da lixeira do Google Drive é o mesmo que já existe atualmente no Gmail. A iniciativa do Google visa unificar as políticas de retenção de conteúdo entre todos os serviços. Apesar disso, não foi mencionado se o Google Fotos também receberá esse novo sistema.

Atualmente, fotos e vídeos salvas por lá são mantidas em cópia na lixeira quando excluídas por um período mínimo de 60 dias. Portanto, é possível que no futuro esse prazo seja reduzido.

Para os usuários, resta ficarem atentos aos arquivos excluídos, seja de forma proposital ou acidental. Por mais que o impacto seja mínimo, todos ficam mais tranquilos ao descobrir que os arquivos excluídos são mantidos “para sempre” como uma opção de recuperação.

Vale lembrar ainda que a novidade se aplicará a todos os usuários dos serviços G Suite, incluindo assinantes pagantes e não pagantes. Em resumo: se programe para checar a lixeira da sua conta do Google Drive nas próximas semanas e evite perder arquivos úteis ou esquecidos em definitivo.

VOCÊ TAMBÈM PODE GOSTAR
Mulher deitada no sofá assistindo os lançamentos da Netflix em seu tablet.

Confira os principais lançamentos da Netflix para Abril de 2024

Imagem em 3D de uma mulher em pé utilizando novas tecnologias de realidade aumentada para trabalhar.

Como as tecnologias emergentes impactam o mercado

Robô desenhando fazendo alusão à criação de imagens por meio de Inteligência Artificial.

Guia prático para criar imagens no ChatGPT

Garota sorrindo e piscando um olho enquanto aponta para a câmera de um jeito divertido, como quem está dando uma dica.

6 extensões úteis para usar no Google Drive

Bateria carregada em 3D.

Indicador de saúde da bateria pode chegar ao Android

Mulher contando segredo sobre os mitos da tecnolgia que todo mundo já caiu.

6 mitos sobre tecnologia que muita gente já caiu

Inscreva-se na nossa

Newsletter


    Ao clicar em “enviar” a Positivo Tecnologia tratará os seus dados de acordo com a Política de Privacidade e Cookies.