Diamante lapidado sobre uma superfície preta.

Material que pode ser mais duro que diamante é descoberto

Na história da humanidade, é constante a busca por substâncias que ultrapassem os limites da dureza e resistência. Diamantes, até então reconhecidos por serem os materiais naturais mais duros da Terra, têm aplicações que vão além da joalheria, sendo essenciais em contextos industriais devido à sua capacidade de cortar, perfurar ou polir outros materiais.

Diamante lapidado brilhando.

Mas, pesquisadores da Universidade de Edimburgo, no Reino Unido, fizeram uma descoberta revolucionária: nitreto de carbono, um material que pode ser tão duro quanto ou até mais resistente que o diamante.

A pesquisa sobre esses compostos não é de agora; na verdade, data da década de 1980. Desde então, os nitretos de carbono têm fascinado os cientistas por suas propriedades únicas, incluindo uma resistência ao calor que desafia os limites da física de materiais. 

No entanto, de acordo com um estudo publicado na revista Advanced Materials em outubro de 2023, a síntese desses compostos, em uma escala que permitisse sua aplicação prática, permanecia um desafio intransponível.

Conforme revelado pelo estudo, suas aplicações recentes superam o nitreto cúbico de boro em dureza, um material até então considerado o segundo mais duro, superado apenas pelo diamante. Esta descoberta redefine o que entendemos por “material duro” e abre um leque de possibilidades para aplicações futuras em tecnologia e indústria.

Desvendando o mistério: o caminho até os nitretos de carbono

No coração da pesquisa, a equipe da Universidade de Edimburgo adotou uma abordagem inovadora, submetendo precursores de carbono e nitrogênio a condições extremas — pressões entre 70 e 135 gigapascais e temperaturas acima de 1500 graus Celsius. Este processo imitou as condições extremas encontradas nas profundezas da Terra, onde os diamantes são formados, e abriu caminho para a criação de algo completamente novo.

Profundezas da Terra, onde os diamantes são formados. Cientistas simularam a temperatura dessa região para criar o nitreto de carbono.

Para compreender a estrutura atômica dos compostos resultantes, os cientistas recorreram a uma técnica avançada: a análise por feixes intensos de raios X, realizada em três dos mais renomados aceleradores de partículas do mundo — o European Synchrotron Research Facility na França, o Deutsches Elektronen-Synchrotron na Alemanha e o Advanced Photon Source nos Estados Unidos. Esta análise revelou que os compostos de nitreto de carbono formados possuíam uma estrutura atômica que lhes conferia uma dureza extraordinária, comparável ao diamante.

O estudo demonstrou a viabilidade de sintetizar nitretos de carbono em condições controladas, marcando um avanço significativo na compreensão desses materiais. Os resultados indicaram que, sob as condições certas, os nitretos de carbono poderiam ser produzidos com uma consistência que mantém suas propriedades excepcionais, mesmo quando retornam a condições normais de pressão e temperatura.

Além da dureza: o futuro brilhante dos nitretos de carbono

O verdadeiro potencial desses compostos está na ampla gama de aplicações que podem revolucionar diversas indústrias. Desde revestimentos protetores até a vanguarda da tecnologia solar, os nitretos de carbono prometem ser a chave para inovações futuras.

  • Revestimentos protetores: imagine automóveis e naves espaciais revestidos com um material quase indestrutível. Os nitretos de carbono podem oferecer proteção superior contra desgaste, calor e corrosão, prolongando significativamente a vida útil desses veículos.
  • Ferramentas de corte: na indústria de manufatura, ferramentas capazes de cortar materiais com precisão e eficiência sem sofrer desgaste são inestimáveis. Os nitretos de carbono, com sua dureza superior, podem revolucionar a produção de ferramentas de corte, tornando-as mais duráveis e eficazes.
  • Tecnologia solar e fotodetectores: a eficiência dos painéis solares e a sensibilidade dos fotodetectores dependem significativamente dos materiais utilizados em sua fabricação. Os nitretos de carbono, com propriedades únicas como fotoluminescência e alta densidade energética, têm o potencial de melhorar significativamente o desempenho desses dispositivos.

Além dessas aplicações, os nitretos de carbono abrem portas para inovações em eletrônicos, armazenamento de energia e muito mais. Sua capacidade de armazenar uma grande quantidade de energia em uma pequena massa pode ser um divisor de águas para o desenvolvimento de baterias mais eficientes e compactas.

***

Em última análise, a descoberta dos nitretos de carbono é um convite para repensar o que é possível. À medida que nos preparamos para embarcar nessa nova era de inovações, uma coisa é clara: os limites de ontem não definirão as conquistas de amanhã.

Quer continuar na vanguarda dessas inovações e descobrir como elas podem transformar nosso futuro? Junte-se a nós no blog Positivo Do Seu Jeito e mergulhe em um universo onde a tecnologia encontra possibilidades ilimitadas.

VOCÊ TAMBÈM PODE GOSTAR
Logo do Google Gemini.

Gemini: o que é e como usar a IA do Google

Teclado de um notebook em 3D com uma tecla com um ponto de interrogação, expressando a dúvida entre instalar Linux ou Windows.

Linux ou Windows: compare os recursos dos sistemas para PC

Crianças em uma sala de aula moderna e usando tecnologia.

Como a tecnologia melhora o processo de aprendizagem escolar?

Satélites em órbita ao redor da Terra.

Primeiros satélites que fornecem rede a celulares são lançados pela Starlink

Homem falando em um celular em uma chamada com tecnologia VoLTE.

Chamada VoLTE: tudo que você precisa saber

Tecla Copilot será inserida nos novos teclados Windows.

Primeiros PCs com tecla especial para inteligência artificial chegam em 2024 no Windows

Inscreva-se na nossa

Newsletter


    Ao clicar em “enviar” a Positivo Tecnologia tratará os seus dados de acordo com a Política de Privacidade e Cookies.