A gestão de dados faz parte da pauta de prioridades da TI estratégica e vem ganhando destaque crescente no Brasil. Afinal de contas, é imprescindível zelar pelos dados empresariais para gerar conhecimento consistente e viabilizar o desenvolvimento da inteligência de mercado.

Se a sua empresa quer melhorar a competitividade, precisa investir em uma boa gestão de dados, elemento fundamental de um processo decisório de sucesso.

Quer saber mais sobre o que é a gestão de dados e entender as razões para sua empresa aderir a essa tendência? Então siga em frente na leitura deste post!

O que é gestão de dados?

É muito comum confundirem gestão de dados com gestão da informação. Mas saiba que a combinação de dados é que gera a informação. Portanto, a gestão de dados atua na porta de entrada dos processos empresariais e a gestão da informação na porta de saída.

A gestão de dados visa administrar os dados ao longo de todo o seu ciclo de vida — da origem ao descarte —, período em que o dado é útil para o negócio em qualquer dos seus níveis — estratégico, tático ou operacional.

A gestão de dados abrange desde a concepção da arquitetura do dado, passando por aspectos de identificação, classificação, garantia de qualidade, armazenamento, desenvolvimento, controle de acesso, segurança e análise, até por fim alcançar a governança de dados. Ela trata tanto os dados estruturados quanto os não estruturados.

Quais são as razões para fazer a gestão de dados?

Existem muitas razões para fazer a gestão de dados em uma organização. Entre elas, as dez principais são:

1. Transformação dos modelos de negócios

Os modelos de negócios estão sendo revolucionados pela transformação digital — Internet das Coisas (IoT); Big Data; Computação em Nuvem; Assistentes Virtuais; Inteligência Artificial; Cobots e Smart Grid.

A aplicação desses recursos tecnológicos de ponta nos processos organizacionais demanda uma gestão de dados bastante criteriosa.

2. Aumento do volume de dados

O volume de dados coletados aumenta exponencialmente a cada novo recurso tecnológico adicionado aos processos de negócios. Quanto mais dados de diversas fontes, maior a necessidade de gestão.

3. Alinhamento das ações de TI com as estratégias empresariais

A gestão de dados deve ser exercida por todos os setores de uma organização, uma vez que os dados se originam em todas as partes internas de uma empresa. Somente assim ocorre um pleno alinhamento entre as ações do setor de TI com as estratégias das áreas de negócios.

4. Maior sinergia entre as áreas

A gestão de dados compartilhada permite disponibilizar os dados em tempo real para todas as áreas da empresa, sem redundâncias, com controle de acesso e segurança. Isso torna mais ágil e confiável o fluxo de informações e comunicações entre os departamentos, o que aumenta a sinergia de toda a equipe, melhorando a produtividade geral da organização.

5. Caracterização e otimização dos dados

Com a gestão de dados, a organização consegue identificar e caracterizar os dados necessários para cada departamento e para a gestão plena do negócio. Esses dados podem ser mestres (dados estruturais do negócio), de referência (dados que estabelecem parâmetros) ou transacionais (são a combinação de dados mestres e dados de referência).

Dessa forma, é possível otimizar os processos de captação, tratamento e desenvolvimento dos dados, para propiciar a geração de informações de valor para a empresa.

6. Melhoria na qualidade e confiabilidade dos dados

A gestão de dados estabelece critérios de validação da origem, integridade, completude, atualidade, unicidade e natureza dos dados, para que ganhem maior qualidade e confiabilidade desde a captação nos sistemas informatizados da empresa.

7. Eliminação dos silos de dados

A gestão de dados conduz à governança de dados, que consiste em conhecer e integrar todos os dados que são gerados online e offline em uma organização. Dessa forma, não há espaço para o surgimento de silos de dados — conjunto de dados isolados em aplicativos, documentos ou sistemas exclusivos de determinado departamento empresarial.

8. Valorização dos ativos empresariais

É preciso ter em mente que os dados constituem ativos da organização, portanto devem ser bem gerenciados com o objetivo de gerar valor para a empresa, sem que haja bloqueios ou fragmentações de informações que poderiam ser utilizadas no suporte ao processo decisório.

9. Apoio e otimização dos processos

Os dados que suportam os processos organizacionais precisam ser geridos ao longo de todo o seu ciclo de vida para embasar informações completas, consistentes e coerentes, para contribuir com o alcance das estratégias do negócio. Nesse contexto, a gestão de dados é a solução necessária para apoiar e otimizar os processos organizacionais.

10. Transparência das operações

A automação das informações referentes às obrigações fiscais e tributárias tornou mais crítica a gestão de dados empresariais. Evitar erros e inconsistências nos dados assegura maior transparência nas operações da organização e impede multas e prejuízos à imagem da organização.

Quais profissionais lidam diretamente com a gestão de dados?

Os profissionais responsáveis por lidar com a gestão de dados diretamente são:

Chief Data Officer – CDO

Responsável por gerenciar as atividades de gestão de dados, comandando e orientando toda a equipe envolvida nesse processo.

Data Steward

Especialista que entende as necessidades específicas dos consumidores de dados de determinado segmento do negócio.

Gestor de Dados Estratégico

Responsável por alinhar as estratégias de negócio com as estratégias de TI, determina e controla as ações de governança de dados.

Gestor Técnico de Dados

Profissional que faz a modelagem e tratamento dos dados em seus diversos aspectos.

Na hora de contratar esses profissionais, verifique se eles reúnem as seguintes características:

  • formação técnica consistente em gestão de dados;
  • conhecimento e experiência no segmento de negócio e em recursos tecnológicos atualizados;
  • bom relacionamento interpessoal;
  • boa gestão do tempo;
  • empatia e discernimento.

Para atender às demandas internas e externas de informações e fazer frente a cada inovação disruptiva que invade o mundo corporativo continuamente, as empresas estão tendo que estruturar seus processos desde a “matéria-prima”: os dados. É por isso que a gestão de dados passou a ser imprescindível em todas as organizações.

A gestão de dados depende de recursos tecnológicos adequados, então aproveite e leia nosso post sobre como montar a estrutura de TI da sua empresa.

Escreva um comentário

CADASTRE-SE PARA FICAR POR
DENTRO DAS NOVIDADES DA POSITIVO.

Share This