Aplicativo FaceApp retorna com opção para mudança de gênero

Se você acessou as redes sociais nas duas últimas semanas, certamente deve ter se deparado com muitas fotos de seus amigos na versão do sexo oposto. “Como eu seria se fosse mulher/homem” foi um dos assuntos mais comentados no último final de semana.

O “culpado” por esse sucesso é um aplicativo chamado FaceApp. Ele já foi alvo de polêmicas no passado por conta da sua política de privacidade e teve os termos atualizados no mês de dezembro. Porém, será que é seguro participar dessa brincadeira e compartilhar suas fotos com o serviço?

FaceApp: o que é e como funciona?

O FaceApp é um aplicativo gratuito disponível para Android. Entre os recursos que ele oferece está o de aplicação de filtros em selfies. Você pode fazer pequenos ajustes na sua imagem ou verificar como ficaria se fosse mais velho ou mais novo. Outras ferramentas incluem alteração no estilo do cabelo, da barba e do plano de fundo.

Entretanto, a função que parece estar chamando mais a atenção nesse momento é a de mudança de gênero nas fotos. Você pode colocar uma foto sua, masculina ou feminina, e ver uma sugestão de como seria o seu rosto se você fosse do sexo oposto. O alto nível de detalhamento do resultado impressiona e, pela diversão, muitas pessoas compartilham o conteúdo.

Para fazer a sua versão, o passo a passo é o seguinte:

Passo 1. Baixe o aplicativo FaceApp na Play Store.

Passo 2. Conceda ao aplicativo acesso às suas fotos tocando na opção “Permitir”.

Passo 3. Em seguida, escolha uma foto da sua galeria.

Passo 4. Por fim, na tela principal do editor, basta escolher o filtro que você deseja aplicar. Nesse caso, escolha a opção “Gênero”.

Passo 5. Toque em “Salvar” para baixar a imagem na galeria ou para compartilhá-la nas redes sociais.

FaceApp: a polêmica do passado

Talvez você não se lembre, mas o FaceApp é o mesmo aplicativo que em 2019 foi acusado de ciberespionagem e roubo de dados dos usuários. O grande problema apontado foi a política de privacidade do aplicativo, que usava termos muito vagos. Além disso, o app não só solicitava acesso às fotos, mas também acessava seu IP e sua localização via GPS.

Essa política de privacidade “vaga” foi alterada em dezembro de 2019, mas para muitos a análise que se faz é que ainda assim pode ser arriscado oferecer os dados ao aplicativo. A sugestão, portanto, se você ainda quer utilizar o app, e desabilitar as permissões concedidas quando o app não estiver em uso.

Depois de obter sua foto modificada você pode optar por desinstalar o app ou por mantê-lo, mas desativado. Nesse caso, se você tentar utilizar o serviço novamente, então terá que conceder outras vez as permissões para poder aplicar os filtros. Apesar da polêmica, nenhuma das acusações feitas contra o serviço foram comprovadas.

VOCÊ TAMBÈM PODE GOSTAR
Bateria carregada em 3D.

Indicador de saúde da bateria pode chegar ao Android

Mulher contando segredo sobre os mitos da tecnolgia que todo mundo já caiu.

6 mitos sobre tecnologia que muita gente já caiu

Logo do Google Gemini.

Gemini: o que é e como usar a IA do Google

Teclado de um notebook em 3D com uma tecla com um ponto de interrogação, expressando a dúvida entre instalar Linux ou Windows.

Linux ou Windows: compare os recursos dos sistemas para PC

Crianças em uma sala de aula moderna e usando tecnologia.

Como a tecnologia melhora o processo de aprendizagem escolar?

Satélites em órbita ao redor da Terra.

Primeiros satélites que fornecem rede a celulares são lançados pela Starlink

Inscreva-se na nossa

Newsletter


    Ao clicar em “enviar” a Positivo Tecnologia tratará os seus dados de acordo com a Política de Privacidade e Cookies.