Google Mars: explore o visual de Marte utilizando imagens de satélite

Passear por diversas localidades do mundo é uma atividade bastante divertida de se fazer pelo Google Maps. Cidades distantes e países desconhecidos ficam muito mais próximos quando temos a oportunidade de andar pelas ruas ainda que seja de forma virtual.

E que tal se você tivesse a oportunidade de visitar outro planeta nos mesmos moldes? Essa é a proposta do Google Mars, um projeto desenvolvido pelo Google em parceria com a NASA, a Agência Espacial Norte-Americana, e pesquisadores da Universidade Estadual do Arizona, nos Estados Unidos.
Embora o serviço esteja disponível apenas em inglês, ele conta com uma interface bastante intuitiva e fica fácil localizar alguns pontos relevantes e curiosos do solo do Planeta Vermelho. Vamos conhecer como funciona esse serviço?

Google Mars: como navegar pelo solo de Marte?

O Google Mars é um serviço online que pode ser acessado gratuitamente por meio deste link. Embora esteja disponível para visualização a partir de qualquer navegador, você poderá obter resultados melhores utilizando o Google Chrome na versão para PC. É possível acessar o Mars também pelo celular, mas há algumas limitações.
Ao acessar o mapa, estão disponíveis três formas de visualização:

  • – Elevation: que mostra o mapa colorido a partir das características de relevo;
  • – Visible: que mostra o mapa a partir de imagens capturadas por satélite;
  • – Infrared: que mostra com destaque algumas áreas que já foram mais exploradas.

No modo Elevation, o mapa mostra os dados coletados pelo Mars Orbiter Laser Altimeter (MOLA). Para obter esses dados, esse dispositivo operou em Marte entre setembro de 1997 e novembro de 2006.
Além das formas de visualização, é possível explorar áreas específicas do mapa que já tenham sido catalogadas por pesquisadores. Essas áreas estão subdivididas em categorias. As opções são as seguintes:

  • – Regions (regiões);
  • – Spacecraft (naves que já pousaram na superfície do planeta);
  • – Stories (regiões sobre as quais há artigos descritivos do local);
  • – Mountains (montanhas);
  • – Canyons (cânions);
  • – Dunes (dunas);
  • – Plains (planícies);
  • – Ridges (picos);
  • – Craters (crateras).

Basta selecionar uma das categorias e clicar nos pontos correspondentes no mapa para ter acesso a um quadro com mais informações sobre o local. São indicadas ainda informações como a data em que a imagem foi capturada e a localização e graus. Em muitos casos há artigos correspondentes (em inglês) para que você possa obter mais informações.
Ferramentas de zoom, para ampliar ou reduzir a visualização de qualquer área, estão disponíveis. É possível ainda gerar URL para pontos específicos do mapa, o que facilita o compartilhamento de informações.
Vale lembrar ainda que, diferentemente do que acontece com o planeta Terra, no caso de Marte a visualização ainda é limitada a uma pequena área já explorada por meio de fotos e vídeos. Alguns pontos do mapa têm imagens de melhor qualidade do que outros, mas em um geral é possível visualizar em alta resolução boa parte dos pontos apresentados.

VOCÊ TAMBÈM PODE GOSTAR
Bateria carregada em 3D.

Indicador de saúde da bateria pode chegar ao Android

Mulher contando segredo sobre os mitos da tecnolgia que todo mundo já caiu.

6 mitos sobre tecnologia que muita gente já caiu

Logo do Google Gemini.

Gemini: o que é e como usar a IA do Google

Teclado de um notebook em 3D com uma tecla com um ponto de interrogação, expressando a dúvida entre instalar Linux ou Windows.

Linux ou Windows: compare os recursos dos sistemas para PC

Crianças em uma sala de aula moderna e usando tecnologia.

Como a tecnologia melhora o processo de aprendizagem escolar?

Satélites em órbita ao redor da Terra.

Primeiros satélites que fornecem rede a celulares são lançados pela Starlink

Inscreva-se na nossa

Newsletter


    Ao clicar em “enviar” a Positivo Tecnologia tratará os seus dados de acordo com a Política de Privacidade e Cookies.