Já reparou que os novos negócios são cada vez mais digitais? É por isso que as tendências em infraestrutura de TI demonstram que está na hora de conhecer e adotar novas tecnologias capazes de vencer os desafios crescentes desse novo perfil corporativo.

A partir de 2018, as tecnologias vão suportar cada vez mais aplicativos complexos, o que requer que a arquitetura dos datacenters seja remodelada, assim como as práticas e operações de TI. A modernização da infraestrutura de TI se faz necessária para processar mais dados com maior velocidade, eficiência e menor custo.

Quer saber quais são essas tendências em infraestrutura de TI e como elas contribuem para melhorar o desempenho dos recursos tecnológicos da sua empresa? Então, leia atentamente este post e comece logo a planejar o futuro do seu negócio!

1. Planejamento geográfico

A capilaridade das redes lógicas de informática está cada vez mais extensa e dispersa — tanto em nível regional quanto global —, e o volume de dados trafegando nas redes está crescendo exponencialmente. Essas circunstâncias estão levando a TI a incluir o planejamento geográfico em suas estratégias.

Essa ação visa desenvolver parcerias com organizações que disponham de infraestrutura de ponta e permitam múltiplas conexões de rede, suportando novas arquiteturas tecnológicas, cumprindo os requisitos legais e as normas internacionais vinculados à tecnologia da informação — compliance em TI.

A ideia é que a infraestrutura de TI de cada um dos parceiros seja compartilhada, de modo a possibilitar o fluxo de dados e tornar o processamento mais veloz e potente. Dessa forma, é possível fazer frente ao desafio de dispor de uma infraestrutura robusta, sem que haja aumento de custos para as empresas envolvidas.

2. Intelligent edge

A quantidade de dispositivos — computadores, celulares, tablets, robôs, máquinas e sensores — conectados à infraestrutura de TI está ganhando uma proporção maior a cada dia.

Esses dispositivos são a ponta do iceberg do processamento de dados. É neles que os dados são captados ou gerados, para depois trafegarem nas redes de informática até alcançarem os servidores e bancos de dados de destino.

Com a intelligent edge, há a necessidade de descentralizar o poder computacional, de forma que cada dispositivo que está na linha de frente seja capaz de processar localmente os dados que gera, e que eles possam transitar apenas para armazenamento e processamentos mais refinados nas redes receptoras. Dessa maneira, ocorre uma redução no volume de processamento no back-end.

A intelligent edge é uma solução tecnológica concebida para as organizações que desenvolvem negócios digitais, para que os requisitos de infraestrutura sejam distribuídos entre a empresa e todos os usuários envolvidos. Ou seja, é uma estratégia mais inteligente de gerenciamento de dados.

3. IBNS

O Intent-Based Networking (IBNS) é um software inteligente que configura a rede de informática de um negócio de acordo com o seu propósito. Ele visa otimizar a disponibilidade e agilidade dos recursos tecnológicos. Faz um diagnóstico das necessidades computacionais de cada empresa desde a implantação da infraestrutura e continuamente, para propiciar ajustes sempre que for preciso, com a finalidade de atender às demandas reais da organização.

Segundo o Gartner, como os modelos de negócios estão assumindo um perfil digital cada vez mais intensivo, a previsão é de que até 2020 os sistemas de Intent-Based Networking ainda estarão ganhando adeptos.

4. Migração para a meganuvem

O ambiente de TI em nuvem opera nos modelos público, privado e híbrido, e conta com diversos provedores que oferecem serviços de hospedagem, armazenagem e computação, cada qual com sua infraestrutura individual, constituindo um universo multinuvens.

Assim, é possível que uma mesma empresa tenha aplicativos e dados divididos em diversas nuvens distintas, o que dificulta a gestão dos ativos de TI e a manutenção da segurança da informação.

A meganuvem virá para integrar as nuvens múltiplas e proporcionar a gestão unificada e inteligente de todos os recursos tecnológicos distribuídos nelas. Dessa forma, será possível transferir dados de uma nuvem para outra e direcionar os dados para a nuvem mais apropriada para o seu processamento e/ou armazenamento, aumentando a eficiência e a velocidade nos serviços de TI.

Para que essa realidade se concretize, os usuários dos serviços em nuvem deverão incorporar inteligência artificial (IA) e aprendizado de máquina — machine learning — aos seus processos de TI, no sentido de otimizá-los e torná-los automatizados. Essas tecnologias combinadas vão gerar valor para o negócio e permitir que a sua equipe de TI se dedique aos assuntos estratégicos da sua empresa.

5. Inteligência artificial

A inteligência artificial será cada vez mais incorporada aos softwares e operações corporativas, para que as tarefas repetitivas, que são embasadas em raciocínio lógico padronizado e têm variáveis controláveis, sejam totalmente automatizadas e deixem de requerer a intervenção humana. O uso de chatbots é um bom exemplo de aplicação dessa tecnologia.

Nesse contexto, o profissional de TI vai se concentrar em aperfeiçoar as configurações e parâmetros que permitirão que a inteligência artificial tome as ações e decisões para as quais seja direcionada. Uma grande vantagem dessa abordagem é que a inteligência artificial opera de forma imparcial, isenta de emoções e preconceitos, seguindo regras de negócio claras e objetivas.

Já os demais colaboradores vão aplicar as suas habilidades no atendimento das situações não previstas nos protocolos e processos empresariais — nos quais a inteligência artificial é inábil — e, principalmente, participar ativamente dos processos de gestão da inovação.

A transformação digital tem trazido mudanças drásticas e progressivas aos modelos de negócios, gerando desafios cada vez maiores para os profissionais C-Level da área de tecnologia da informação. Acompanhar as inovações é fundamental para contribuir com a sustentabilidade das organizações.

As tendências em infraestrutura de TI projetam avanços tecnológicos para o futuro, mas que precisam ser considerados no presente dentro do planejamento estratégico de TI. Assim, o diferencial competitivo da sua companhia pode ser mantido e até incrementado. Vale lembrar que concorrer com organizações exponenciais que exploram negócios altamente digitais não é um desafio simples.

Viu como as tendências em infraestrutura de TI são desafiadoras? Que tal compartilhar essas informações com os seus amigos nas redes sociais?

Escreva um comentário

CADASTRE-SE PARA FICAR POR
DENTRO DAS NOVIDADES DA POSITIVO.

Share This