Positivo do seu jeito

Dicas

Instalar o Linux: 5 distribuições para quem está considerando mudar de sistema operacional

29 de julho de 2020

por: MKT Positivo

O sistema operacional Linux continua sendo a melhor alternativa para quem está cansado ou simplesmente não quer mais contato com o Windows, da Microsoft.

Porém, assim como o SO open source dá liberdade de escolha aos usuários para que eles modifiquem o que bem entender, há muitas opções de distribuições que podem confundir os usuários iniciantes. Popularmente conhecidas como “distros”, elas acrescentam recursos visuais ou aspectos técnicos a versões consolidadas do Linux, como o Ubuntu.

Escolher qual fará parte do seu dia a dia é muito mais uma questão de gosto pessoal e de compatibilidade com seus objetivos do que qualidade. Se você está pensando em migrar para esse lado dos sistemas operacionais, aqui estão cinco distribuições às quais você deveria prestar atenção antes de escolher a sua.

1. Linux Mint

Considerada uma das distribuições mais interessantes da atualidade, o Linux Mint tem como base o sistema do Ubuntu. Na prática isso significa otimização: bom desempenho e baixo consumo de memória RAM – ideal para computadores com configurações mais modestas.

Disponível em versões de 32 e 64 bits, seus pré-requisitos são relativamente simples: 1 GB de memória RAM, 15 GB de espaço de armazenamento livre, monitor com suporte à resolução 1024×768 e pendrive ou cartão de memória com pelo menos 4 GB para execução do instalador.

Conheça a distribuição Linux Mint

2. Elementary OS

Se a sua máquina é um pouco mais potente, ou seja, atende ao pré-requisitos da opção acima com tranquilidade, outra alternativa para considerar é o Elementary OS. Trata-se de uma distribuição com uma interface visual mais bem trabalhada, também tendo o Ubuntu como base.

Segundo os criadores do projeto, a ideia inicial era resolver alguns problemas de outras distribuições, tais como melhor estética global, redução da necessidade de uso do terminal e da dependência de softwares utilizando core apps escritos em C ou Vala.

Conheça a distribuição Elementary OS

3. Zorin OS

Se você não tem objeções com relação a interface do Windows e quer mantê-la no Linux, então a opção é o ZorinOS. Utilizando o ambiente gráfico do Gnome Shell, o resultado é um sistema bastante intuitivo e que, apesar de gratuito, oferece recursos extras mediante pagamento.

Fique de olho nas diferentes versões dessa distribuição: Zorin OS Core (gratuita principal); Zorin OS Lite (gratuita para computadores com menor poder de processamento); Zorin OS Education (versão gratuita para estudantes e professores); Zorin OS Business (versão paga para empresas) e Zorin OS Ultimate (versão paga, completa).

Conheça a distribuição ZorinOS

4. Ubuntu

Para grande parte dos usuários a expressão “Ubuntu” é sinônimo de Linux. Sem sombra de dúvidas, essa é a distribuição mais utilizada e seu principal diferencial é o amplo suporte a ambientes gráficos, seja em versões para desktop ou para uso em servidores.

Em outras palavras, se você não quer errar e nem testar nada diferente, essa deve ser a sua escolha. A usabilidade do Ubuntu é um dos aspectos mais elogiados da ferramenta. Não é à toa que essa distribuição serve como base para muitas outras, que agregam mais recursos e elementos visuais.

Conheça a distribuição Ubuntu

5. Linux Deepin

Fechando a nossa lista, a sugestão é a distribuição chinesa Linux Deepin. Ela tem como diferencial o aspecto visual, que remete às interfaces desenvolvidas no Oriente, e a simplicidade de uso. Algumas fabricantes chinesas chegaram a incluir essa versão de SO em máquinas comercializadas na Ásia.

Isso significa que ela possui um grande número de usuários, o que pode ser um aspecto positivo em termos de compatibilidade de aplicativos e opções de desenvolvimento. Se você busca algo diferente, vale a pena fazer o teste.

Conheça a distribuição Linux Deepin