Robôzinho sentado em uma mesa com um bloco de anotações e um lápis

Nova ferramenta do Google permite identificar imagens geradas por IA

O Google acaba de anunciar o SynthID, sua nova ferramenta desenvolvida para identificar imagens geradas por inteligência artificial. Em meio ao crescimento da utilização de IA para criar imagens realistas, a capacidade de distinguir o que é real do que é sintético torna-se cada vez mais fundamental para os motores de busca atribuírem autoridade e relevância aos sites.

robô desenhando, fazendo alusão à criação de imagens por meio de inteligência artificial

Mas, por que essa ferramenta é tão relevante? E como ela se encaixa no cenário atual, onde imagens geradas artificialmente estão se tornando cada vez mais comuns e convincentes?

O que é o SynthID e como ele funciona

Esta ferramenta inovadora foi desenvolvida para identificar imagens criadas pelo Imagen, uma inteligência artificial da empresa especializada em gerar “fotos” e artes. 

O diferencial dela reside em sua capacidade de criar uma marca d’água que, embora seja “imperceptível aos olhos humanos”, fica registrada nos pixels da imagem, garantindo sua autenticidade.

Inicialmente, o SynthID foi disponibilizado para alguns assinantes do Vertex AI, um serviço de machine learning que faz parte do portfólio do Google Cloud. Embora o Google ainda não tenha lançado uma versão pública do Imagen ou de uma ferramenta similar, outras gigantes da tecnologia, como OpenAI e Microsoft, já disponibilizaram serviços gratuitos desse tipo, nomeadamente o Dall-E e o Bing Image Generator. 

O que torna o Imagen especial , no entanto, é sua capacidade de não apenas criar, mas também editar imagens por meio de prompts.

O anúncio oficial do SynthID foi feito no blog da DeepMind, uma subsidiária do Google focada no desenvolvimento de inteligência artificial e conhecida por suas criações revolucionárias, como o AlphaGo e o AlphaZero.  E, assim como essas IAs voltadas para o aprendizado de jogos, o SynthID tem uma missão clara: garantir e resguardar a “autenticidade” das imagens geradas pelo Google.

Mas por que o Google quer identificar imagens feitas com IA?

Para o chefe de pesquisa da DeepMind, Pushmeet Kohl, “a capacidade de criar imagens realistas por meio de IA é impressionante, mas também traz consigo desafios significativos. Precisamos de ferramentas que nos ajudem a discernir o real do artificial.”

E um dos maiores desafios da atualidade é a disseminação de desinformação, especialmente com a ascensão de imagens geradas por Inteligência Artificial que são quase indistinguíveis da realidade. Nesse cenário, a necessidade de ferramentas que possam identificar e autenticar essas imagens tornou-se primordial.

Em julho, o Governo dos EUA fez um apelo às grandes empresas de tecnologia, solicitando soluções que pudessem identificar imagens geradas por IA. Esta solicitação veio como uma resposta à crescente preocupação com a disseminação de desinformação e a potencial manipulação de imagens para fins maliciosos. O SynthID, desenvolvido pela DeepMind do Google, é uma resposta direta a esse chamado.

Mas o Google não está sozinho nessa jornada. Outras empresas renomadas, como OpenAI, Meta, Amazon, Anthropic e Inflection, também reconheceram a importância dessa causa e adotaram marcas d’água para identificar conteúdo gerado por IA. Essa tendência coletiva destaca a urgência e a relevância do problema, e a necessidade de soluções robustas e eficazes.

O desenvolvimento do SynthID não é apenas uma inovação tecnológica, mas também um passo crucial na luta contra a desinformação. Ao garantir a autenticidade das imagens, ele ajuda a construir um ambiente digital mais seguro e confiável para todos.

Casos notáveis de imagens geradas por IA

A capacidade de gerar imagens realistas por meio da Inteligência Artificial tem fascinado e surpreendido muitos ao redor do mundo. No entanto, essa inovação também trouxe consigo casos notáveis em que imagens geradas por IA enganaram o público e causaram alvoroço.

Um exemplo marcante foi a disseminação de supostas fotos do set de filmagens de ‘Coringa 2’. Essas imagens, que pareciam autênticas e detalhadas, rapidamente se espalharam pelas redes sociais e foram amplamente compartilhadas. No entanto, mais tarde foi revelado que elas eram, na verdade, criações de uma IA.

Outro caso que chamou a atenção foi a divulgação de uma imagem do Papa Francisco vestindo uma jaqueta estilizada. A imagem, que parecia uma declaração de moda audaciosa do líder religioso, foi posteriormente identificada como uma criação gerada por IA.

imagem gerada por IA em que o Papa Francisco está usando uma blusa de frio estilizada

Esses casos destacam a incrível capacidade das IAs de gerar imagens realistas, mas também ressaltam a necessidade de cautela e discernimento ao consumir conteúdo digital. Ainda que seja um pequeno passo, com ferramentas como o SynthID, espera-se que o público tenha mais recursos à disposição para distinguir o real do artificial.

***

Se você deseja se manter atualizado sobre as últimas inovações e desenvolvimentos no mundo da tecnologia, não deixe de acompanhar o blog Positivo Do Meu Jeito.

VOCÊ TAMBÈM PODE GOSTAR
Logo do Copilot.

Copilot: como funciona a nova IA da Microsoft

Cookies de chocolate sobre uma superfície laranja.

O que são cookies e para que servem?

Carregador de celular sobre uma superfície laranja.

9 cuidados para seu carregador durar mais

Mulher usando o celular para ajudá-la a preparar um prato.

7 apps para você aprender a cozinhar

Mulher ouvindo música em fones de ouvido bluetooth.

Cuidados com fones de ouvido bluetooth

Mulher deitada no sofá assistindo os lançamentos da Netflix em seu tablet.

Confira os principais lançamentos da Netflix para Abril de 2024

Inscreva-se na nossa

Newsletter


    Ao clicar em “enviar” a Positivo Tecnologia tratará os seus dados de acordo com a Política de Privacidade e Cookies.