Equipamentos, sistemas, protocolos, inovações — esses são alguns dos conhecimentos que um gestor da área de TI precisa ter para fazer o setor funcionar como se espera. Porém, isso não é suficiente. No dia a dia, quem faz tudo acontecer são os funcionários, e demonstrar habilidade com a gestão de pessoas é essencial para conseguir o desempenho desejado dos colaboradores.

E como as pessoas são bem menos previsíveis que as máquinas, selecionamos algumas dicas importantes sobre como liderá-las. Ao colocá-las em prática, você vai garantir a satisfação dos colaboradores, do seu público interno e a produtividade do time. Quer saber quais são? Confira no post!

Os principais princípios para a gestão de pessoas no setor de TI

Saber lidar com o ser humano no dia a dia é um verdadeiro diferencial. Afinal, as pessoas são a força de trabalho de uma companhia. Sua gestão não trata apenas de saber delegar tarefas e exigir resultados, mas de despertar o desejo de realmente produzir mais e melhor.

Existem alguns princípios que podem ajudá-lo a alcançar esse resultado. Descubra quais são eles:

Desenvolva as suas habilidades de liderança

Quando se fala em gestão de equipes, não basta ter o conhecimento técnico referente à área. É fundamental desenvolver certas competências para lidar com pessoas e extrair o melhor de cada um.

Comunicação, planejamento e organização, capacidade para delegar de forma justa e inteligente, percepção do ambiente e das pessoas, gestão de conflitos são algumas habilidades que o gestor deve desenvolver.

Por isso, encare a sua formação de líder como um desafio pessoal. Procure saber sobre o assunto, busque cursos que ajudem a desenvolver competências e dependendo do clima da sua organização, busque um mentor dentro da empresa para auxiliá-lo.

Da mesma forma que todos os colaboradores precisam buscar aperfeiçoamento contínuo, o gestor também deve entender que é seu papel avaliar em que aspectos precisa melhorar e buscar soluções para isso.

Seja criterioso na contratação

O time de trabalho será seu. Então, a melhor maneira de começar com o pé direito é com uma contratação bem-feita. Isso significa que ela não deve acontecer por impulso ou identificação, mas considerando as características do candidato e da equipe.

Em primeiro lugar, o gestor precisa conhecer o seu time. As pessoas possuem conhecimentos e habilidades diferentes. Portanto, é preciso descobrir os pontos fracos da equipe para buscar alguém que possa complementá-la.

A partir dessa avaliação, o gestor começa o processo de seleção. Ele vai buscar um membro que tenha exatamente as características necessárias para cobrir essas lacunas do grupo e torná-lo mais completo e forte.

A avaliação do candidato também precisa ser criteriosa. Ela deve considerar não só a formação e experiência, mas principalmente o perfil comportamental e adequação ao cargo.

No futuro, um colaborador dinâmico, que busca conhecimentos e se engaja no projeto tem o potencial de se tornar melhor que um funcionário que hoje sabe mais, mas é apático e acomodado.

Compreenda as diferenças geracionais

Hoje o mercado convive com diferentes gerações em um mesmo espaço, e nas equipes de TI não é diferente. Mesclar esses profissionais que estão em etapas distintas da vida e carreira pode ser uma experiência enriquecedora para todos.

Para isso, o gestor precisa compreender a mentalidade de cada geração e saber como explorar o melhor de cada uma delas. Os profissionais mais maduros tendem a ser mais resilientes, organizados, têm uma visão melhor de gestão de custos e projetos, entre outras características.

Já os profissionais mais jovens, geralmente, são inovadores, inquietos e engajados. O seu interesse maior não está na remuneração, mas nos desafios que a organização apresenta e nas oportunidades de crescimento que ela proporciona.

Quando o gestor compreende essas características ele descobre como lidar com cada grupo, motivá-los e intermediar possíveis conflitos que surgem com a convivência de pessoas tão diferentes.

Entenda a motivação individual

E por falar em motivar, chegamos a um ponto crucial. A motivação é completamente individual, e o alto salário que torna um colaborador incansável até encontrar uma solução para um problema não tem o mesmo efeito sobre o outro.

Portanto, o gestor precisa entender o que motiva cada funcionário. Aquele conhecimento sobre as diferentes gerações ajuda muito a desenvolver essa visão, já que esses paradigmas condicionam muitas das expectativas que eles têm em relação à companhia.

Alguns se interessam mais por programas de recompensa, bônus e premiações. Outros (especialmente nas novas gerações) são motivados por planos de carreira claros, oportunidades de desenvolvimento como a realização de cursos relevantes e a possibilidade de obter certificações importantes no mercado.

A grande dica é: conheça os seus colaboradores. Saiba se para eles sucesso tem mais relação com vantagens pessoais (salários, benefícios etc.) ou com desenvolvimento profissional e relevância social. Quando isso acontecer, você saberá como motivá-los.

Aprenda a reconhecer talentos e treiná-los

A gestão de talentos é um dos grandes desafios da área de Recursos Humanos e gestores. Nenhuma empresa pode se dar ao luxo de perder um colaborador promissor ou subutilizá-lo em funções em que não possa usar e desenvolver as suas habilidades.

Para reconhecer talentos e aproveitá-los é preciso acompanhar o trabalho do time. Faça reuniões periódicas de feedback com a equipe e individualmente. Mantenha a porta da sua sala sempre aberta para ouvir comentários e sugestões.

Após reconhecer um talento, dê a ele oportunidades de crescer e brilhar pela sua empresa. Garanta que ele tenha acesso a novos conhecimentos por meio de palestras, cursos e treinamentos e que tenha a chance de aplicar o que aprendeu.

Faça das oportunidades e desafios que a sua empresa proporciona uma verdadeira blindagem contra o assédio de outras organizações. Assim, você não perderá os seus principais talentos.

Aperfeiçoe a habilidade para gerenciar projetos

Embora cada um tenha um papel a desempenhar, a responsabilidade sobre o sucesso dos projetos é do líder. Portanto, a habilidade para gerenciá-los deve estar entre as suas prioridades.

Isso envolve reconhecer necessidades, entender quais são os membros da equipe mais capacitados para realizar determinadas tarefas e delegá-las corretamente, acompanhar o andamento, auxiliar na busca de soluções, prover suporte e feedbacks.

A condução equivocada de um projeto estressa a equipe. Mesmo que eles alcancem o resultado desejado, a má administração dos recursos e prazos gera um clima de insatisfação e desconforto.

Portanto, faça o possível para desenvolver essa habilidade. A cada novo projeto, reavalie os procedimentos do trabalho anterior junto com o grupo e discutam possibilidades de melhorar os processos para solucionar gargalos e ganhar eficiência.

Faça dos feedbacks uma oportunidade de crescimento mútuo: você descobre o que precisa melhorar como gestor ao mesmo tempo que mostra ao grupo como eles poderiam ter produzido um resultado melhor com menos esforço — o princípio da produtividade.

E agora? Preparado para lidar com o desafio da gestão de pessoas? Esperamos que esses princípios o ajudem a conduzir a sua equipe de TI de forma mais eficiente, garantindo a satisfação e a realização de todos os envolvidos.

Gostou do post? Então que tal compartilhá-lo em suas redes sociais e marcar os seus contatos? Afinal, muitos desses princípios podem ser aplicados em qualquer local de trabalho. Com certeza, eles vão gostar!

Escreva um comentário

CADASTRE-SE PARA FICAR POR
DENTRO DAS NOVIDADES DA POSITIVO.

Share This