Proteja-se: veja como evitar golpes que trocam URL de sites no seu navegador

Quanto mais pessoas fazem compras pela internet, maior é o número de pessoas que tentam aplicar golpes dos mais variados tipos. Por isso, é importante que você observe os mínimos detalhes e saiba como evitar golpes na internet, desde os mais simples até aqueles elaborados e que deixam até mesmo os mais experientes confusos.

Nesse artigo, vamos falar sobre como evitar o “golpe homográfico”. O nome pode parecer difícil, mas o truque na verdade é bastante simples. Os bandidos criam sites falsos parecidos com sites verdadeiros e trocam uma simples letra na URL. É o suficiente para que pessoas menos atentas caiam na armadilha e acabem fornecendo seus dados pessoais para terceiros.

®GIPHY

Como evitar esse tipo de golpe

É fácil evitar golpes como esse se você estiver utilizando o Google Chrome como navegador. Isso pode ser feito com facilidade graças à extensão PhishProtect Beta. Sua missão é muito simples: detectar quais são esses links maliciosos e evitar que você seja enganado pela falta de atenção.

Vamos ao passo a passo de como adicionar essa proteção extra ao Google Chrome:

©PHISPROTECT

Passo 1: primeiro, faça o download e autorize a instalação da extensão PhishProtect Beta. Clique em “Adicionar extensão” para confirmar a instalação e depois siga as instruções que aparecem na tela. Ao finalizar o processo, recomendamos reiniciar o navegador para que você se certifique que tudo está funcionando bem.

Passo 2: a partir de agora, você não precisa fazer mais nada. A extensão funciona em segundo plano, informando a você sempre que houver algum tipo de ameaça a partir das URLs carregadas pelo navegador.

Nesse caso, um aviso será exibido na tela com a frase “Malicious site ahead” (algo como “site malicioso adiante”).

Brasil é o país com mais ataques de phishing no mundo

Ficar atento a esse tipo de detalhe é especialmente importante para os brasileiros. Segundo informações da Kaspersky, divulgadas no final de 2017, o Brasil é o país com o maior número de vítimas de ataques de phishing no mundo. Nada menos do que 28,3% dos internautas já caíram em algum tipo de golpe dessa espécie.

Segundos os especialistas em segurança, a maioria dos usuários vítimas de golpes como esses são “contaminadas” ao clicar em links maliciosos recebidos por e-mail, pelo WhatsApp ou via SMS. O detalhe é que mesmo links enviados por pessoas conhecidas podem estar contaminados, por isso é importante sempre ficar de olho.

VOCÊ TAMBÈM PODE GOSTAR
Robô bonitinho sentado em uma escrivaninha estudando, mostrando como a inteligência artificial pode ajudar nos estudos.

Saiba como usar as IA para potencializar seus estudos

Mulher dona de um pequeno negócio usando inteligência artificial em um computador para otimizar seu trabalho.

11 dicas para usar IA no crescimento do seu negócio

Casal assistindo séries da Netflix sentados em um sofá comendo pipoca.

14 séries imperdíveis para você assistir na Netflix sem medo de ser feliz

Homem cobrindo o rosto com várias notas de dinheiro em formato de leque.

Como ganhar dinheiro com inteligência artificial

Mulher segurando um confrinho em formato de porco, simbolizando as ecnonmias ao comprar online.

Compare e economize: 9 apps para comparar preço antes de comprar

Vários desenhos de dispositivos eletrônicos formando um círculo. No centro, há um prédio com o G do Google, e em seu topo há uma nuvem, representando o armazenamento em nuvem do Google Drive.

Google Drive tem funções que vão melhorar a sua forma de trabalhar

Inscreva-se na nossa

Newsletter


    Ao clicar em “enviar” a Positivo Tecnologia tratará os seus dados de acordo com a Política de Privacidade e Cookies.